Contatos

twitter: @LabSisUFRN; telefone: 84 3215-3796;
facebook: LabSis Ufrn

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Tremor de magnitude 6.6 na dorsal meso oceânica em 18/08/2017

    Hoje, às 02:59 UTC ocorreu um grande tremor, de magnitude 6.6, na dorsal meso-oceânica. O epicentro do evento está localizado a aproximadamente a 762 km a N de Ascensão, a 1.770 km a ESE de São Pedro e São Paulo, a 2.120 km a ENE de Fernando de Noronha, a 2.450 km a ENE de Natal e a 2.480 km a ENE de Recife.
    Posteriormente a esse evento, às 15:35 UTC, ocorreu um novo evento na dorsal, de magnitude 4.8, a aproximadamente 100 km a W do evento de magnitude 6.6.
    O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro de magnitude 6.6 está simbolizado pela estrela vermelha. O epicentro do evento de magnitude 4.8 está simbolizado pela estrela amarela. O triângulo vermelho indica a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
    O registro desses eventos na estação de Riachuelo está mostrado na Figura 2.

Figura 2. Registro dos eventos na estação RCBR. O evento grande é o sismo de magnitude 6.6. O evento de magnitude 4.8 está dentro do retângulo amarelo.
    Quando sismos dessa magnitude ocorrem na dorsal uma pergunta frequente é se podem causar um tsunami que poderia atingir as costas brasileiras. Para poder causar um tsunami, além da magnitude, geralmente acima de 7.0, é preciso que o movimento seja de falha normal ou reversa. No caso em tela, o movimento é de falha transcorrente que não tem possibilidade de mover a água no fundo oceânico pois o movimento é horizontal, ao contrário das falhas normais e reversas, onde o movimento é vertical.
     O movimento relacionado ao sismo está mostrado na Figura 3.

  
Figura 3. Tensor momento sísmico que indica o movimento da falha sísmica.
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário