Contatos

twitter: @LabSisUFRN; telefone: 84 3342-2237 R 550 ou 551;
facebook: LabSis Ufrn

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Novo tremor em Pedra Preta-RN em 08/07/2020

    Ontem, 08/07, às 13:38 UTC (10:38, hora local), ocorreu um novo tremor em Pedra Preta, desta vez de magnitude preliminar 1.4.  Esse evento foi sentido em Pedra Preta e foi registrado por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN.
    O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1.

Figura 1.  Mapa de localização  epicentral. A estrela vermelha indica o epicentro do tremor. A estrela azul indica o epicentro do sismo de 2010 de magnitude 3.5. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Riachuelo (RCBR). Em destaque, os limites do município de Pedra Preta.
    O registro desse evento na estação RCBR está mostrado na Figura 2.

Figura 2. Registro do evento em RCBR.
    Como se pode ver na Figura 1, o evento de ontem está aproximadamente 8 km ao sul do sismo de 2010 e 6 km a NE de Pedra Preta, e , provavelmente, não pertence à mesma falha sismogênica que os eventos de 2010. Como sempre dizemos, não é possível prever como será a evolução dessa atividade sísmica.

Fonte: LabSis/UFRN, RSBR, INCT-ET
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes, Marcos Pinto

Atividade sísmica recente na região de Cascavel-CE em 07, 08 e 09/07/2020

    Por motivos técnicos, durante muito tempo não tivemos acesso à estação de Cascavel (NBCL) em tempo real. No dia 07/07 esse problema foi sanado e, coincidentemente, tivemos a ocorrência, nesse mesmo dia, de um evento às 23:22 UTC (20:22, hora local), de magnitude 2.5. Além desse evento vários outros micro-tremores foram registrados nos dias 07/07 (03), 08/07 (13) e 09/07 (08, até 09:00 UTC).
    Um levantamento preliminar dos efeitos do tremor de magnitude 2.5 foi feito por Francisco Brandão, da Defesa Civil do Ceará, com relatos, principalmente do município de Chorozinho, vizinho a Cascavel. Entre as localidades em que o tremor foi sentido, além de Chorozinho (sede), estão Cedro, Timbaúba dos Marinheiros, Triângulo de Chorozinho, Carnaubinha e Pitombeiras (Cascavel). Esses dados foram complementados por reportagem da CETV e, resumidamente, o tremor não casou rachaduras em casas sendo que o tremor parecia um trovão, foi sentido por pessoa sentada em sofá e lembrou um trem passando.
    Esse evento foi registrado por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN.
    O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1. 

Figura 1. Mapa de localização  epicentral. A estrela vermelha indica o epicentro do tremor. A estrela amarela indica o provável epicentro do sismo de 1980 de magnitude 5.2. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Cascavel (NBCL).
    O registro do evento em NBCL está mostrado na Figura 2.

Figura 2. Sismograma do dia 07/07/2020 da estação NBCL. O registro do evento está em azul após as 23:22 UTC.
   A região de Cascavel tem apresentado, ao longo do tempo, uma atividade que se acha distribuída, principalmente no município de Cascavel e nos limites entre Cascavel e Chorozinho e Beberibe, sendo que também temos eventos em Chorozinho e Beberibe.
    Um mapa mostrando os diversos epicentros de sismos registrados por redes sismográficas locais, de 1989 a 2017, é mostrado na Figura 3.

Figura 3. Sismicidade na região de Cascavel a partir de redes sismográficas locais de 1989 a 2017, segundo Fonsêca (2019). Círculos, quadrados e triângulos pequenos, representam epicentros determinados com dados da diversas campanhas. A estrela cinza indica o possível epicentro do evento de 1980, de magnitude 5.2. Os triângulos vermelhos maiores indicam as estações da campanha de 2017. As bolas de praia mostram os mecanismos focais de diversos clusters de eventos.
    O evento mais importante nessa área sísmica foi o tremor de magnitude 5.2, o maior até hoje no Nordeste, ocorrido no dia 20/11/1980, há quase 40 anos. A localização epicentral foi feita por dados macro-sísmicos, a partir dos efeitos do tremor, sendo, portanto, menos preciso que usando dados instrumentais. De qualquer modo ele está na região limítrofe dos municípios de Cascavel e Chorozinho, próximo, portanto, ao epicentro do sismo de magnitude 2.5 ocorrido no dia 07/07.
    Há questões que se colocam. A primeira, essa atividade vai durar ou será de curta duração? A segunda, uma especulação, haverá alguma relação entre a atividade ora presente e a falha sismogênica responsável pelo tremor de magnitude 5.2 ocorrido em 1980?
    O LabSis continuará monitorando e informando as autoridades, principalmente a Defesa Civil, sabendo que informação é a base para qualquer ação exitosa no apoio à população.



Fonte: LabSis/UFRN, RSBR, INCT-ET
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes, Marcos Pinto, Marconi Oliveira, Aderson do Nascimento

Referências:

2) Fonsêca (2019):
José Augusto Silva da Fonsêca:  Análise da sequência sísmica de 2017 no noroeste da Bacia Potiguar. Dissertação de Mestrado. PPGG/UFRN. 82 pp, 2019

Novo tremor em Caruaru-PE em 09/07/2020

    Hoje, 09/07, às 09:53 UTC (06:53, hora local), um novo tremor ocorreu em Caruaru, desta vez de magnitude preliminar 1.9. Esse evento foi sentido pela população de Caruaru e foi registrado por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN.
    O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1. 

Figura 1.  Mapa de localização  epicentral. A estrela vermelha indica o epicentro do tremor. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Caruaru (NBCA).
    O registro desse evento pela estação NBCA está mostrado na Figura 2.

Figura 2. Registro do evento em NBCA.
    Historicamente Caruaru tem sido palco de intensa atividade sísmica ao longo do tempo, muitas vezes na forma de enxame. No entanto, não é possível prever se temos um evento isolado ou o início de um novo ciclo de tremores na região.
Fonte: LabSis/UFRN, RSBR, INCT-ET
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes, Marconi Oliveira, Aderson do Nascimento

quinta-feira, 2 de julho de 2020

Novo tremor na dorsal meso-oceânica em 02/07/2020

    Hoje, 02/07, às 18:16 UTC, ocorreu um nov tremor na cordilheira meso-oceânica desta vez de magnitude 5.0. Esse evento ainda não consta da listagem do USGS mas somente da do EMSC. O epicentro do evento foi localizado a aproximadamente 1.240 km a NNE de Acaraú, a 1.260 km a NW de São Pedro e São Paulo (portanto, fora do limite das 200 milhas ou 370 km da Zona Econômica Exclusiva),  a 1.310 km a N de Fortaleza, a 1.360 km a NNE de São Luís, a 1.470 km a NNW de Fernando de Noronha, a  1.570 km a NE de Belém,  a 1.575 km a NNW de Natal e a 1.700 km a ENE de Macapá.
    O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. A estrela vermelha representa o epicentro do evento. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
    O registro do evento na estação RCBR está mostrado na Figura 2.

Figura 2.  Sismograma 24 h de RCBR. O registro do evento está dentro do retângulo vermelho.
Fonte: LabSis/UFRN, EMSC
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes

segunda-feira, 29 de junho de 2020

Novo tremor na dorsal meso-oceânica em 29/06/2020

    Hoje, 29/06, às 19:40 UTC, ocorreu um novo tremor na dorsal, desta vez de magnitude 5.6.  O epicentro localizado a aproximadamente 428 km a SSE de Ascensão, a 2.400 km a ESE de Recife,  a 2.470 km a ESE de Maceió, a  2.500 km a ESE de Natal e a 2.735 km a ENE de Salvador.
    O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. A estrela vermelha representa o epicentro do evento. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
    O registro do evento na estação RCBR está mostrado na Figura 2.

Figura 2.  Sismograma 24 h de RCBR. O registro do evento está após as 19:50 h. 
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira

quinta-feira, 11 de junho de 2020

LabSis45 - 45 anos de sismologia na UFRN


     Neste ano a sismologia na UFRN completa 45 anos. Tudo começou em 1975 quando a responsabilidade pela operação da estação sismográfica de Natal (NAT), pertencente à rede global WWSSN, mudou da Marinha para o DFTE/UFRN visto que a Marinha queria utilizar o espaço onde a estação estava instalada para outros fins, ficando a UFRN de arrumar um novo local para ela ser reinstalada. No final de 1976 houve uma reunião em Natal, em que Jesus Berrocal, do IAG/USP, Jim Jordan, do USGS e Mário Barbery, professor do DFTE responsável pela estação NAT, discutiram com o departamento como resolver a transferência da estação.
Até então o DFTE só contava com um docente formado na área de geofísica, José Wilson Macedo, que fez o mestrado na Bahia. Em 1978, o IAG/USP se interessou em tentar levar estudantes de Natal para fazer o mestrado lá. Os dois primeiros seguiram em 1978 (João da Mata e Tilson Baltazar) e, em 1979 foram para o IAG outros quatro (José Antônio Moreira, Mário Takeya, Janilo Santos e Joaquim Ferreira). Esse conjunto de pessoas (José Wilson, João da Mata, Tilson Baltazar, José Antônio Moreira, Mário Takeya, Janilo Santos e Joaquim Ferreira), a que mais tarde se somou Walter Medeiros, constituiu o Grupo de Geofísica do DFTE, núcleo inicial que geraria o futuro Departamento de Geofísica (DGEF).
          No mestrado, João da Mata, Joaquim Ferreira e Mário Takeya ficaram sob a orientação de Marcelo Assumpção que recém chegara de seu doutorado em Edimburgo, na área de sismologia. Paralelamente estava em andamento a transferência da estação de Natal (NAT) para Caicó (CAI) que acabou se efetivando em 1983, quando então a responsabilidade pela estação já estava com  Joaquim Ferreira.
          Nos primeiros  anos, a rotina na UFRN era de fazer as leituras dos sismogramas de NAT e CAI e enviar, via telex, para o USGS. Foram também feitos levantamentos macrossísmicos de eventos recentes e do passado. Mas então, no começo de julho de 1986, teve início a mais espetacular sequência sísmica que já ocorreu no Brasil, a dos sismos de João Câmara. Isso iria mudar para sempre a sismologia, não só da UFRN mas do Brasil.
A partir daí, foi possível  à sismologia da UFRN se equipar, contratar mais pessoas e atuar em vários estados da região, tanto estudando os tremores de terra do ponto científico quanto esclarecendo a população e ajudando a Defesa Civil a atuar nessas situações. Isso levou à criação do Laboratório Sismológico da UFRN (LabSis/UFRN), inicialmente no DFTE, e transferido em 2009 para  o DGEF.
Essa história do LabSis, que tem suas raízes em 1975, será narrada em capítulos, desde suas origens até a atualidade.

Figura 1. Mapa de localização de onde foram instaladas redes locais para estudo de atividade sísmica desde 1986. Cada triângulo vermelho indica uma rede.

Fonte: LabSis/UFRN
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes, Aderson Nascimento, Marcos Pinto

Dois novos tremores na dorsal meso-oceânica em 10/06/2020

    Ontem, 10/06, dois novos tremores ocorreram na dorsal. O primeiro evento, de magnitude 6.0, ocorreu às 19:58 UTC e teve o epicentro localizado a aproximadamente 691 km a W de Santa Helena, a 892 km a S de Ascensão, a 2.540 km a ESE de Recife,  a 2.560 km a ESE de Maceió, a  2.670 km a ESE de Natal e a 2.780 km a E de Salvador.
    O segundo 
evento, de magnitude 5.4, ocorreu às 21:14 UTC e teve o epicentro localizado a aproximadamente 60 km a N do anterior.
    O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. A estrela vermelha representa o epicentro do evento de magnitude 6.0. A estrela amarela representa o epicentro do evento de magnitude 5.4. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
    O registro dos eventos na estação RCBR está mostrado na Figura 2.

Figura 2. Sismograma 24 h de RCBR. O registro do primeiro evento está após as 20:00 h. O segundo evento, registrado após as 21:20 h, acha-se encoberto, em parte, pelo evento anterior.
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira

sábado, 6 de junho de 2020

Novo tremor na dorsal meso oceânica em 06/06/2020

    Hoje, 06/06, às 05:03 UTC ocorreu um novo tremor na dorsal, desta vez de magnitude 5.3. O epicentro desse evento foi localizado a aproximadamente 92 km a ENE de Ascensão, a 1.980 km a SE de São Pedro e São Paulo (portanto, fora do limite das 200 milhas ou 370 km da Zona Econômica Exclusiva),  a 2.130 km a ESE de Fernando de Noronha, a  2.350 km a E de Recife e a 2.390 km a ESE de Natal.
    O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. A estrela vermelha representa o epicentro do evento. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
    O registro do evento na estação RCBR está mostrado na Figura 2.

Figura 2.  Sismograma 24 h de RCBR. O registro do evento está dentro do retângulo vermelho.
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira

Tremor próximo a Lajes - RN em 06/06/2020

    Hoje, 06/06, às 07:13 UTC (04:13, hora local), ocorreu um tremor de magnitude preliminar calculada em 1.6. Esse evento foi registrado por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN.
    O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1. 

Figura 1. Mapa de localização  epicentral. A estrela vermelha indica o epicentro do tremor. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
      O registro desse evento na estação RCBR está mostrado na Figura 2.
Figura 2. Registro do evento em RCBR.
      Lajes conheceu um período de intensa atividade sísmica em 1.963. Nessa época os eventos de maior magnitude ocorreram em 27/08 (3.7) e 02/10 (3.9). Esporadicamente alguns eventos tem sido registrados desde então.

Fonte: LabSis/UFRN, RSBR, INCT-ET
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes

sexta-feira, 5 de junho de 2020

Novo tremor na cordilheira meso-oceânica em 05/06/2020

    Hoje, 05/06, às 13:26 UTC, um novo tremor ocorreu na dorsal, desta vez de magnitude 4.6. O epicentro desse evento foi localizado a aproximadamente a 820 km a NW de São Pedro e São Paulo (portanto, fora do limite das 200 milhas ou 370 km da Zona Econômica Exclusiva),  a 1.212 km a N de Fernando de Noronha, a  1.320 km a NNE de Fortaleza, a 1.430 km a NNE de Natal e a 1.600 km a NE de São Luís.
    O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. A estrela vermelha representa o epicentro do evento. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
    O registro do evento na estação RCBR está mostrado na Figura 2.

Figura 2. Sismograma 24 h de RCBR. O registro do evento está dentro do retângulo vermelho.

Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes