Contatos

twitter: @LabSisUFRN; telefone: 84 3215-3796;
facebook: LabSis Ufrn

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Novo tremor na cordilheira meso-oceânica em 28/02/2014

    Hoje, 28/02, ocorreu um novo tremor na cordilheira meso-oceânica. O evento ocorreu às 02:48 UTC e teve magnitude 5.3. O epicentro do tremor está localizado a aproximadamente 785 km a W da ilha de  Santa Helena,  a 900 km a S da ilha de Ascensão, a 2.530 km a ESE de Recife, a 2.660 km a ESE de Natal, a 2.760 KM a E de Salvador e a 2.920 km a ENE de Vitória.
    O mapa de localização epicentral é mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do sismo está simbolizado pela estrela vermelha. O triângulo vermelho indica a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
     O registro do evento na estação RCBR é mostrado na Figura 2.

Figura 2. Sismograma de 24 horas da estação RCBR. O registro do evento está dentro dos retângulos vermelhos.
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Novo tremor na cordilheira meso-oceânica em 25/02/2014

    Ontem, 25/02, ocorreu um novo tremor na cordilheira meso-oceânica. O evento ocorreu às 23:53 UTC e teve magnitude 4.8. O epicentro do tremor está localizado a aproximadamente 1.688 km a SW de Santa Cruz das Flores, Açores, e a 3.310 km a N de Belém.
    O mapa de localização epicentral é mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do tremor é indicado pela pequena bola laranja.
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira, Heleno Lima Neto

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Tremor no Atlântico Sul, fora da dorsal, em 20/02/2014

    Hoje, dia 20/02, às 16:28 UTC, ocorreu um tremor no Atlântico Sul, de magnitude 5.0. O epicentro do tremor está localizado a aproximadamente 1.215 km a SE de Tramandaí-RS, a 1.300 km a SE de Porto Alegre e 1.510 km a ESE de Montevideu, Uruguai.
    O mapa de localização epicentral é mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do sismo está simbolizado pela estrela vermelha. A linha à direita mostra a localização da cordilheira meso-oceânica, 
    Como se pode notar, o epicentro do tremor está entre o continente e a cordilheira meso-oceânica tratando-se, portanto, de um sismo intra-placa na crosta oceânica, em contraste com os sismos que ocorrem no Nordeste que também são do tipo intra-placa mas cujo epicentro está na crosta continental. Um evento semelhante já havia ocorrido em dezembro do ano passado, próximo a Fernando de Noronha, conforme foi noticiado neste blog.

Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira

Novo tremor na cordilheira meso-oceânica em 20/02/2014

     Hoje, 20/02, ocorreu um novo tremor na cordilheira meso-oceânica. O evento ocorreu às 04:09 UTC e teve magnitude 5.3. O epicentro do tremor está localizado a aproximadamente 680 km a S da ilha de Ascensão (e não Santa Helena, como publicou o USGS), a 2.330 km a SE de Recife,  a 2.450 km a SE de Natal e a 2.610 km a E de Salvador.
    O mapa de localização epicentral é mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do sismo está simbolizado pela estrela vermelha. O triângulo vermelho indica a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
   
    O registro do evento na estação RCBR é mostrado na Figura 2.

Figura 2. Sismograma de 24 horas da estação RCBR. O registro do evento está dentro do retângulo vermelho.
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Novo tremor em Pedra Preta-RN em 13/02/2014

    Ontem, 13/02, às 15:58 UTC (12:58, hora local), ocorreu, em Pedra Preta, um novo tremor, desta vez de magnitude 1.8.
    O mapa de localização epicentral está na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro está representado pela estrela vermelha. Os triângulos representam as estações RCBR (em vermelho) e ACCP (azul). Em destaque os limites do município de Pedra Preta.
    O registro do evento na estação de Riachuelo (RCBR) é mostrado na Figura 1.

Figura 2. Registro do evento pela estação RCBR.

    Como se pode notar, menos de 15 dias do último evento acima do limiar de percepção já ocorreu um novo evento, prenunciando que, apesar do tempo decorrido desde o início da atividade em dezembro de 2010, não há indícios de que a atividade esteja num processo de entrar em calmaria.

Fonte: LabSis/UFRN; RSISNE; INCT-ET, USGS
Joaquim Ferreira