Contatos

twitter: @LabSisUFRN; telefone: 84 3215-3796;
facebook: LabSis Ufrn

sábado, 26 de novembro de 2011

João Câmara: 25 anos do tremor de magnitude 5.1

No próximo dia 30 de novembro estarão se completando 25 anos da ocorrência do tremor de magnitude 5.1 cujo epicentro foi na cidade de João Câmara, Rio Grande do Norte, e que foi sentido em Natal e outras capitais do Nordeste. Esse evento foi o maior de uma longa sequencia, iniciada em 5 de agosto de 1986, e que se estenderia por alguns anos mais, até 1993. Foi o maior desastre sísmico ocorrido no país provocando extensos danos materiais, com derrubada e danos irreparáveis em muitas edificações, ferimentos em várias pessoas e pânico e fuga da população.
Por ocasião dos 20 anos desse tremor, em 2001, o Laboratório Sismológico participou de um evento rememorativo da data, com palestra para a população de João Câmara e entrevista em emissora de rádio local. É uma data para rememorar sempre o ocorrido, e refletir sobre o passado o presente e o futuro.
Neste ano estão programados vários eventos alusivos à data. No dia 30 pela manhã, às 9:00h, haverá uma Audiência Pública, em João Câmara, promovida pela Coordenação de Defesa Civil do Rio Grande do Norte, com a colaboração da Prefeitura Municipal de João Câmara, que será realizada na Câmara Municipal de João Câmara.
À noite, no mesmo local, estará sendo concedido o título de cidadão camarense a pessoas envolvidas com o estudo da Falha de Samambaia em 1986-87 entre as quais membros das equipes de pesquisa, na época, da UFRN (Joaquim Ferreira, Mário Takeya, João da Mata Costa e José Antônio de Morais Moreira), da UnB (José Alberto Veloso, Marcelo Assumpção e Juraci Carvalho) e da USP (Jesus Berrocal), e para Edvan Martins, atual vereador em Natal e, na época, jornalista da Rádio Cabugi que cobria os acontecimentos em João Câmara. A atribuição dos títulos foi uma iniciativa do vereador José Ribamar Leite, que era o prefeito de João Câmara em 1986.
Haverá também o lançamento do livro "O terremoto que mexeu com o Brasil", de autoria do Prof. Veloso, primeiro diretor do Observatório Sismológico da UnB, e que teve atuação destacada nos acontecimentos de 1986. Haverá um lançamento do livro em João Câmara, no dia 30, após a concessão do título de cidadão camarense, e outro em Natal, no dia 02 de dezembro às 11:00h, na Cooperativa Cultural da UFRN.
A UFRN começou a atuar efetivamente em João Câmara em dezembro de 1983 para estudar o efeito de um tremor ocorrido nessa época e, desde então, tem atuado na região. Os acontecimentos de 1986 dividiram a história da sismologia brasileira em duas épocas, antes e depois de João Câmara. Após João Câmara a UFRN começou a se consolidar como importante instituição nessa área, embora o caminho não tenha sido fácil, tendo que enfrentar adversidades e adversários de todos os tipos ao longo desses 25 anos. Atualmente somos a instituição com mais experiência para atuar em áreas sísmicas, realizando estudos com redes sismográficas locais bem como esclarecendo a população e assessorando em ações de Defesa Civil.

Joaquim Mendes Ferreira
Coordenador do Laboratório Sismológico/UFRN


Nenhum comentário:

Postar um comentário