Contatos

twitter: @LabSisUFRN; telefone: 84 3215-3796;
facebook: LabSis Ufrn

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Novas áreas sísmicas ativas em Pernambuco

    O monitoramento com a estação de Caruaru (NBCA), pertencente à rede RSISNE (Petrobras/UFRN/FUNPEC) tem se mostrado bastante eficiente na localização de áreas ativas na região de Caruaru, como por exemplo,  a leste de São Caetano, Bezerros, a leste de Caruaru. 
    A análise dos  dados dos últimos dias permitiu identificar duas novas áreas, a primeira, no limite dos municípios de Altinho e Ibirajuba, onde ocorreram dois microtremores no dia 09/05/2012 e, a segunda, no limite dos municípios de Santa Cruz do Capibaribe e Taquaritinga do Norte, onde também ocorreram dois microtremores no dia 10/05/2012.
    Um mapa mostrando a localização desses epicentros está na Figura 1.

Figura 1. Mapa epicentral. Os epicentros estão representados pelas estrelas vermelhas. O triângulo vermelho mostra a localização da estação NBCA. As regiões coloridas indicam as áreas dos municípios citados.
    Os registros desses eventos são mostrados nas Figuras 2 e 3, abaixo.

Figura 2. Sismograma do evento de Altinho/Ibirajuba registrado em NBCA. Figura elaborada por Heleno Lima Neto.
Figura 3. Sismograma do evento de Santa Cruz do Capibaribe/Taquaritinga do Norte registrado em NBCA. Figura elaborada por Heleno Lima Neto.
    Antes desses eventos, não havia registro de sismos na região de Altinho/Ibirajuba, que fica ao sul de Caruaru (Figura 1). Já ao norte, a atividade sísmica foi muito intensa na década de 70, sendo os principais eventos o de Toritama (1974, m=3.6) e o de Santa Cruz do Capibaribe (1970, m=3.9).
    O tremor de Santa Cruz do Capibaribe, de 1970, foi sentido em diversas localidades da divisa PE/PB, destruiu alguns tetos de residências, causou brechas em tetos e  paredes de diversas residências, derrrubou garrafas em bares e restaurantes, e deixou a população em pânico. Esse tremor era o evento de maior magnitude registrado no estado de Pernambuco antes do sismo de São Caetano, de magnitude 4.0, ocorrido em 2006.

Fonte: LabSis/UFRN; RSISNE; INCT-ET
Joaquim Ferreira,  Heleno Lima Neto, Eduardo Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário