Contatos

twitter: @LabSisUFRN; telefone: 84 3215-3796;
facebook: LabSis Ufrn

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Seminário LabSis/UFRN no dia10/05/2012

No próximo dia 10/05/2012 teremos mais um seminário do LabSis, atividade coordenada pelo Prof. Jordi Julià. O seminário será proferido pelo doutorando da PPGG (Programa de Pós-graduação em Geodinâmica e Geofísica) Paulo Henrique Sousa de Oliveira e terá por título "Sismicidade na região noroeste do Ceará e sua relação com o Lineamento Transbrasiliano".
    O seminário será apresentado no auditório do prédio Reuni (Departamento de Geofísica), às 16:30 h.
Resumo
    A região noroeste do Ceará, geologicamente conhecida como Domínio Noroeste do Ceará (DNC), está localizada na plataforma estável sul-americana. Além de sua importância geológica, estrutural e tectônica, o DNC possui uma das principais áreas sísmicas ativas da região Nordeste do Brasil, sendo relatados eventos desde o século XIX . 
     Há muito o Laboratório Sismológico da UFRN (LabSis/UFRN) vem efetuando estudos da atividade sísmica com redes sismográficas locais nessa região, inicialmente em Groaíras, onde dois eventos seguidos de magnitudes 3,9 mb e 4,1 mb ocorreram em 1989. Após esses eventos várias campanhas têm sido realizadas para estudar a sismicidade ocorrida nesta região. As últimas campanhas realizadas na região foram realizadas na região da Serra da Meruoca (área sísmica nos limites dos municípios de Sobral, Meruoca e Alcântaras), em 2008 (rede SB) e em Santana do Acaraú, em 2010 (rede SA). 
    É importante observar também que Sobral e Santana do Acaraú possuem considerável proximidade do Lineamento Transbrasiliano (LTB), o qual consiste numa gigantesca zona de cisalhamento que corta a área de estudo e se estende para sudoeste, até a região central do Brasil. Sendo assim, quando da ocorrência de sismicidade no DNC, geralmente se especula se a mesma é uma possível reativação do LTB. 
    Apesar da proximidade da sismicidade nas regiões citadas anteriormente possuir proximidade do LTB, o objetivo desse trabalho é mostrar que nem sempre é possível associar a ocorrência de sismicidade como uma possível reativação do LTB, diferentemente do que ocorre na região do Lineamento Pernambuco (LP) onde existe uma clara correlação entre a sismicidade de o LP.


Figura 1. Mapa epicentral dos sismos da Serra da Meruoca em 2008. Os círculos amarelos denotam os epicentros. Os triângulos vermelhos mostram o local das estações sismográficas utilizadas no estudo dessa atividade sísmica. As  linhas pretas mostram falhas e o Lineamento Transbrasiliano.
 Fonte: LabSis/UFRN
 Paulo Oliveira, Joaquim Ferreira, Jordi Julià

Nenhum comentário:

Postar um comentário