Contatos

twitter: @LabSisUFRN; telefone: 84 3215-3796;
facebook: LabSis Ufrn

terça-feira, 15 de maio de 2012

Seminário LabSis/UFRN no dia 17/05/2012

No próximo dia 17/05/2012 teremos mais um seminário do LabSis, atividade coordenada pelo Prof. Jordi Julià. O seminário será proferido pela doutoranda da PPGG (Programa de Pós-graduação em Geodinâmica e Geofísica) Rosana Maria do Nascimento e terá por título "Estrutura crustal e mantélica da Província Borborema (NE Brasil) através de função do receptor e dispersão de ondas superficiais".
    O seminário será apresentado no auditório do prédio Reuni (Departamento de Geofísica), às 16:30 h.
Resumo  
    A Província Borborema, localizada no Nordeste do Brasil, passou por várias etapas de evolução até o Cenozóico e possui uma estrutura geológica muito complexa, marcada por dois principais eventos, o magmatismo Cenozóico e o soerguimento do planalto da Borborema. Oliveira (2008) investigou o arcabouço estrutural da província através de dados gravimétricos e magnéticos, realizou uma inversão para estimar a espessura crustal em toda província e mostrou que ela possui uma espessura heterogênea. Barbosa (2008) usando cinco estações sismográficas banda larga, calculou função do receptor  em algumas regiões da província e os valores obtidos para a espessura variam de 29 a 35 km.  
    Sabe-se que a dispersão de ondas de superfície é sensível à velocidade de ondas S média em profundidade. A função do receptor é primeiramente sensível aos contrastes das velocidades de ondas de corpo e aos tempos de percurso verticais. Assim, a dispersão de ondas de superfície e a função do receptor confinam propriedades sísmicas diferentes, mas dependentes, da estrutura da litosfera. Suas inversões conjuntas podem fornecer bons vínculos tanto em descontinuidades como em velocidades de onda S. Assim, propomos usar as velocidades de grupo das ondas de superfície e as funções do receptor para inverter simultaneamente as estruturas da litosfera na Província Borborema. Para obter um resultado mais amplo iremos utilizar uma integração dos nossos resultados com os resultados de tomografia de velocidade de grupo do trabalho de Feng (2004).  
    Usando as 15 estações RSISNE e as 6 do projeto Milênio, pretendemos melhorar a topografia da Moho (função do receptor) e melhorar também os modelos crustais regionais (inversão conjunta de função de receptor e ondas de superfície) na região. Certamente, a integração dos resultados com outros de gravimetria e magnetometria da região, auxiliarão o melhor entendimento da evolução de toda a Província Borborema.
Referências:
 Feng, M., 2004. Tomografia de ondas de superfície na América do Sul: Inversão conjunta de velocidade de grupo e forma de onda. PhD tese, IAG, Universidade de São Paulo, SãoPaulo, Brazil.
Novo Barbosa, M.F., 2008. Estimativa de espessura crustal na província Borborema (NE/Brasil) através de Função do Receptor. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós Graduação em Geodinâmica e Geofísica, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 
Oliveira, R.G., 2008. Arcabouço Geofísico, Isostasia e causas do magmatismo Cenozóico da Província Borborema e de sua margem continental (Nordeste do Brasil). Tese de Doutorado, Programa de Pós Graduação em Geodinâmica e Geofísica, Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Figura 1. Mapa de percursos para a tomografia de ondas de Superfície. Eventos usados por Feng (2004) mais os eventos usados no presente trabalho para o período de 50s. As bolas vermelhas representam os epicentros dos eventos. Os triângulos verdes representam as estações utilizadas neste trabalho.
 Fonte: LabSis/UFRN
  Rosana Nascimento, Jordi Julià, Joaquim Ferreira

Um comentário: