Contatos

twitter: @LabSisUFRN; telefone: 84 3215-3796;
facebook: LabSis Ufrn

domingo, 11 de março de 2012

Trabalho de campo no noroeste do Ceará.

    Desde o dia 5 de março a engenheira Regina Spinelli e o técnico Eduardo Alexandre de Menezes estão realizando trabalho de campo na região noroeste do estado do Ceará.
     Esse trabalho está sendo realizado dentro da programação do INCT de Estudos Tectônicos. Dentre os objetivos a serem atingidos estão: a) contatos com a Defesa Civil do Ceará e de Sobral acerca dos últimos eventos na região; b) instalação de novas estações de banda larga na região; c) relocação da estação acelerográfica de Massapê para Santana do Acaraú.

    a) eventos recentes e contatos com a Defesa Civil
    Como foi noticiado neste blog dois eventos recentes foram foco de atenção: o tremor de terra de Barroquinha e a queda de objetos espaciais.
    O tremor de terra de Barroquinha ocorreu no dia 17/02 e teve sua magnitude preliminar estimada em 2.5 e o epicentro localizado próximo a Barroquinha. Foi feita uma reanálise dos dados disponíveis e o mapa epicentral obtido é mostrado na Figura 1. Uma localização mais precisa e uma melhor magnitude só serão possíveis com os dados de outras estações que registraram o evento.
Figura 1. Mapa epicentral dos ismo de Barroquinha. O epicentro é indicado pelo pino amarelo. Elaborado por Renato Dantas.
    Assim que foi informado da ocorrência desse evento o técnico da Defesa Civil do Ceará Francisco das Chagas Brandão entrou em contato com os coordenadores da Defesa Civil de Barroquinha e dos municípios vizinhos. Segundo o levantamento por ele realizado o tremor não teria sido sentido na região.
    Sobre a queda de objetos espaciais o Sub-Tenente Marcos Costa percorreu a região ficando claro que essa queda tinha ocorrido em várias localidades. Aparentemente o maior efeito teria sido sentido na região entre Irauçuba e Morrinhos (Missi e Cachoeira) sendo que nesta última localidade até uma televisão teria caído da estante (??). Segundo um morador ele viu o objeto cair, fazer um buraco e ficar debaixo da terra , mas ele se recusou a mostrar a localização do objeto.
    De qualquer forma, as informações recolhidas explicam porque a queda foi registrada pela estação de Morrinhos (NBMO). 
    b) instalação de novas estações de banda larga (BB)
    O objetivo da instalação dessas estações é múltiplo qual seja, obter informações sobre a crosta terrestre na região e ajudar a monitorar a atividade sísmica. Essas estações, junto com outras do mesmo tipo já em operação vão formar uma linha aproximadamente reta de Granja-CE até Sirinhaém-PE, trazendo novas informações ao levantamento de sísmica de refração realizado pelo Projeto do Milênio nessa mesma trajetória. A Figura 2 mostra as estações já em operação na Província Borborema bem como as estações a serem instaladas.

Figura 2. Estações sismográficas regionais operadas pelo Labsis/UFRN. O quadrado amarelo mostra a localização da estação de Riachuelo (RCBR); quadrados vermelhos, das estações da rede RSISNE; quadrados verdes, das estações BB do INCT-ET; círculos pretos e azuis estações de período curto do INCT-ET. Elaborado por Jordi Julià.
    As estações de período curto que ficarem na linha, ou próximo a ela, serão substituídas por estações de banda larga (BB).  As estações BB a serem utilizadas são constituídas por sensor STS2.5 e registrador Q330 (Figura 3). Esse equipamento pertence ao Pool de Equipamentos Geofísicos do Brasil (PegBr), com sede no Observatório Nacional. A compra dos equipamentos foi financiada pela Rede de Geotectônica da Petrobras.
Figura 3. Estação BB em teste no LabSis. Em primeiro plano, a engenheira Regina Spinelli. No chão, o sensor STS2.5. Sobre a mesa, o registrador Q330 (em laranja). Foto, Eduardo Menezes.
    A primeira estação já está em operação próximo à cidade de Granja-CE, conforme mostra a Figura 4.
Figura 4. Mapa de localização da estação LP01.  A flecha mostra o local onde foi instalada a estação, no município de Granja. Elaborado por Eduardo Menezes.
    Por sua localização, além do objetivo de melhor conhecer a estrutura da crosta terrestre na região, servirá sem dúvida, para o monitoramento da atividade sísmica. Será a estação mais próxima de Barroquinha e permitirá acompanhar a evolução da atividade sísmica local. Um primeiro registro de um evento na estação LP01 (no caso uma explosão a 70 km) é mostrado na Figura 5, abaixo.

Figura 5. Primeiro evento registrado pela estação LP01 (Granja-CE). Elaborado por Eduardo Menezes.
    c) relocação da estação acelerográfica
    Durante essa etapa de trabalho de campo foi também relocada a estação acelerográfica que estava em Massapê para Santana do Acaraú. O objetivo é duplo, de um lado, melhorar o monitoramento da atividade sísmica da região e, de outro, obter o valor da aceleração epicentral, importante no caso de ocorrência de novos tremores de magnitude acima de 2.0 e verificar instrumentalmente sua atenuação utilizando outras estações acelerográficas. Todas as estações da rede RSISNE são dotadas de um sensor do tipo BB e de acelerômetro. A instalação da estação é mostrada na Figura 6, abaixo.
Fonte 6. Instalação da estação ACFL, sítio Flor, Santana do Acaraú-CE. Foto Eduardo Menezes
Fonte: LabSis/UFRN; INCT-ET; RSISNE
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes, Regina Spinelli, Jordi Julià, Renato Dantas e Heleno Lima Neto.

2 comentários:

  1. Olá

    Sou professor Geografia Educação Básica e blogueiro [www.granjaceara.com.br], gostaria de saber com fazer para visitar a estação instalada em Granja. Contato favor!

    Lira Dutra
    88 99919361

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estações sismográficas são aparelhos altamente sensíveis e a presença de pessoas nas proximidades causa ruído. A visita só é possível quando for feita a manutenção e coleta de dados da estação.
      Qualquer contato favor fazer através do email labsis.ufrn@gmail.com

      Excluir